Exame ocular simples pode detetar risco de AVC

Imagem da notícia: Exame ocular simples pode detetar risco de AVC

Uma equipa de investigadores da Universidade de Zurique, na Suíça, descobriu uma forma de detetar a estenose da artéria carótida, um fator de risco de acidente vascular cerebral (AVC), através de um exame simples aos olhos.

Trata-se de um  teste denominado amplitude de pulso ocular que pode ser efetuado por oftalmologistas e que se revela muito promissor. Os especialistas suíços recorreram a um dispositivo especial para calcular a amplitude de pulso ocular, medida através da diferença entre os dois níveis de pressão que existem dentro do olho durante as duas fases do batimento cardíaco, a pressão sistólica e diastólica.

De acordo com um estudo publicado na revista Ophthalmology da Academia Americana de Oftalmologia, entre os 67 casos estudados os pacientes com valores mais baixos de amplitude de pulso ocular apresentavam mais artérias bloqueadas.

Em comunicado, Pascal de Bruno Knecht, coordenador do estudo, sublinhou que os resultados “mostram que a amplitude de pulso ocular é um teste de triagem seguro e confiável para a estenose da artéria carótida”.

20 Junho 2012
Atualidade

PUBLICIDADE
Mido 2020
`

Notícias relacionadas

AIBILI e ESEnfC celebram acordo de colaboração

A Associação para Investigação Biomédica e Inovação em Luz e Imagem e a Escola Superior de Enfermagem de Coimbra assinaram um acordo de parceria para o desenvolvimento de atividades de investigação clínica que junta duas instituições da mesma cidade.

Ler mais 18 Fevereiro 2020
Atualidade

O valor do papel na era digital

Acreditou-se, durante anos, que o papel impresso deixaria de ter uso. Dizia-se que os e-books iriam substituir os livros tradicionais e que sites online iriam suplantar os meios de comunicação em formato físico. No entanto, nada disto aconteceu.

Ler mais 16 Fevereiro 2020
Atualidade

Radar das emoções desenvolvido na UA

É um radar, mas não serve para monitorizar a velocidade dos automóveis nem o espaço aéreo. Monitoriza, isso sim, emoções. Desenvolvido na Universidade de Aveiro (UA) o inédito radar, qual filme de ficção científica, consegue identificar o estado emocional de um indivíduo usando apenas sinais vitais detetados à distância.

Ler mais 7 Fevereiro 2020
Atualidade