Portugal caminha para excesso de médicos

Imagem da notícia: Portugal caminha para excesso de médicos

José Manuel Silva, bastonário da Ordem dos Médicos, alerta que, “neste momento, Portugal ainda não tem médicos a mais, mas está a caminho de os ter” e, por isso, defende restrições no acesso aos cursos superiores.O bastonário diz que “excesso de profissionais reduz a qualidade global do exercício da Medicina no país e mercantiliza a saúde”.

José Manuel Silva admite que a sua posição pode ser vista como “excessivamente corporativa”, mas alega que, “para proteger os doentes, não devemos ter médicos a menos, que criam dificuldades de acesso aos cuidados de saúde, mas não devemos ter médicos a mais, porque isso leva a uma mercantilização da saúde e dos doentes. Deve haver um equilíbrio”, resume.

Para José Manuel Silva, “estamos a formar técnicos cuja qualidade é reconhecida na Europa e, por isso, vêm cá contratar médicos portugueses que vão para o estrangeiro a custo zero beneficiar outros doentes e outras economias e não aqueles doentes e aquela economia que permitiram a sua formação”.

Quando questionado sobre se Portugal tem médicos a mais, José Manuel Silva respondeu: “Neste momento, Portugal ainda não tem médicos a mais no exercício da profissão, mas está a caminho de os ter, de tal forma que, para a próximo ano, 200 a 300 jovens não irão ter nenhuma vaga de especialidade para poderem tirar a especialidade”.

2 Janeiro 2013
Atualidade

PUBLICIDADE
https://www.oftalpro.pt/wp-content/uploads/2022/11/BANNER-MIDO_OPTICA-E-OFTAL.gif
`

Notícias relacionadas

Oftalmologia marca presença na MIDO 2023

A conferência "Oftalmologia, óptica e optometria: as novas tecnologias e o futuro", será um dos motivos a ter em conta na edição deste ano da exposição internacional MIDO, que se realiza de 4 a 6 de fevereiro, em Milão, Itália.

Ler mais 23 Janeiro 2023
Atualidade

Qual o Futuro da Tecnologia nos Cuidados de Saúde?

A tecnologia e inovação estão de mãos dadas e vão acelerar durante o resto da década à medida que as empresas, os governos e os indivíduos se adaptarem às novas realidades, como a deslocalização, descarbonização, demografia e tensões geopolíticas.

Ler mais 20 Janeiro 2023
Atualidade