Farmácias para pobres

Imagem da notícia: Farmácias para pobres

Recentemente abriram duas novas farmácias sociais em Portugal. O objetivo é facilitar o acesso aos medicamentos, como forma de combater a crise e ajudar os portugueses mais carentes monetariamente.

Segundo o ‘site’ do Grupo das Misericórdias Portuguesas, as farmácias sociais fazem parte de um plano ajuda aos mais desfavorecidos, segundo uma responsabilidade social. É neste sentido que a Associação Mutualista Covilhanense inaugura a farmácia social, no lar de idosos junto ao Largo do Calvário, destinada exclusivamente a sócios.

Está em funcionamento desde o dia 10 de janeiro. Os idosos pagam um euro por mês, mas abrange qualquer pessoa, com cotas que podem chegar aos 25 euros anuais. Carlos Casteleiro, presidente da organização, pretende chegar aos 800 sócios, tendo em conta que nos últimos seis meses se juntaram 300 pessoas. A Mutualista responsabiliza-se por servir 106 utentes no lar e em apoio domiciliário, tal como refeições gratuitas por mês na cantina do mesmo edifício.

Na paróquia da Lourinhã abre também uma nova farmácia, com o objetivo de apoiar pessoas carenciadas que não têm possibilidades de comprar os medicamentos que necessitam. A voluntária Teresa Braga afirma que um dos motivos que impulsionou a abertura do estabelecimento, foi o facto de haver “pessoas a perguntar o preço dos medicamentos e depois não os comprar”. Desde novembro que a farmácia recebe dezenas de pessoas que, segundo a voluntária, aceita donativos de produtos farmacêuticos excedentários, entregues nas farmácias da Lourinhã ou no Convento de S. António, onde a farmácia está situada. Estes medicamentos serão depois distribuídos gratuitamente, segundo uma receita médica.

Assim sobe para 14 o número de instituições deste tipo, segundo a União das Mutualidades Portuguesas. Luís Alberto Silva, o presidente da União, refere que nestas farmácias os resultados são sempre aplicados no “reforço dos benefícios concedidos aos associados e familiares, ou na criação e melhoria de serviços de apoio social”.

18 Janeiro 2013
Atualidade

PUBLICIDADE
|MIDO 2021
`

Notícias relacionadas