Medicamentos são falsificados em África

Imagem da notícia: Medicamentos são falsificados em África

A National Academy of Science (NAS) alerta que os índices de fármacos falsificados andam à volta da casa dos 50 pontos percentuais.

Segundo o ‘site’ Ciência Hoje, a falta de fiscalização na circulação de medicamentos e dos seus princípios ativos são apontadas como causas que levam a estas situações, principalmente em países em vias de desenvolvimento.

Os chamados ‘blockbusters’, medicamentos utilizados no tratamento de doenças como o cancro, alzheimer, disfunção erétil e malária, são os mais falsificados e atingem vendas na ordem dos setecentos milhões de euros por ano.

Vários países não consideram que determinada planta ou material biológico deva seguir o princípio ativo isolado, o que torna difícil a fiscalização.

A NAS alerta que estes fármacos são pouco eficazes no combate das doenças como também podem provocar graves efeitos secundários.

16 Abril 2013
Atualidade

`

Notícias relacionadas

Novo confinamento: oftalmologistas podem abrir portas

O Governo já anunciou as medidas do novo confinamento geral para um combate necessário ao avultado número de infetados com Covid-19. Na generalidade, voltam a ser aplicadas as regras do primeiro confinamento, mas com novas exceções. É o caso da oftalmologia.

Ler mais 14 Janeiro 2021
AtualidadeOftalmologia

Mais literacia em saúde com o projeto “A Saúde no Saber”

A Ciência Viva - Agência Nacional de Cultura Científica e Tecnológica, no âmbito do concurso “Comunicar Saúde”, que visa promover a literacia em saúde em Portugal, atribuiu 20 mil euros ao projeto “A Saúde no Saber”, do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra (UC).

Ler mais 13 Janeiro 2021
Atualidade