Pessimistas vivem mais

Imagem da notícia: Pessimistas vivem mais

Um recente estudo revela que as pessoas otimistas têm tendência a adoecer mais facilmente que as pessimistas.

O estudo, de 27 de fevereiro, explica quem tem perspectivas positivas em relação ao próprio futuro tem 10 por cento mais probabilidades de morrer ou desenvolver um distúrbio mental.

Desenvolvido pelos investigadores das universidades alemãs de Erlangen-Nuremberga e Humbolt, o instituto DIW de Berlim e também a universidade suíça de Zurique, a investigação revela resultados de uma análise de 1993 a 2003 a indivíduos de três faixas etárias, para determinar qual o nível de satisfação em relação ao próprio dia-a-dia e como avaliaria os próximos cinco anos.

Apurou-se que 25 por cento dos participantes mais velhos espera uma vida estável, enquanto 43 por cento esperam um futuro pior e 32 por cento esperam algo muito bom.

Os mais jovens avaliam os próximos tempos mais positivamente que os mais velhos. Os investigadores ponderam que uma pessoa mais negativa vá mais vezes ao médico e tenha mais cuidado com o corpo, daí que esteja mais atenta aos eventuais sintomas do corpo.

24 Abril 2013
Atualidade

PUBLICIDADE
MIDO 2021
`

Notícias relacionadas

Fundação Gulbenkian e CUF fazem parceria

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, e o presidente da CUF, Salvador de Mello, firmaram recentemente um protocolo de colaboração através do qual pretendem aproveitar as sinergias existentes entre as áreas de atuação das duas instituições e promover o intercâmbio de conhecimentos, incentivar a cooperação e a investigação científica, estimular a formação de profissionais de saúde, apoiar iniciativas de elevado potencial e incentivar a publicação científica.

Ler mais 15 Outubro 2020
Atualidade