Vai abrir a primeira escola para paralímpicos corredores em Portugal

Imagem da notícia: Vai abrir a primeira escola para paralímpicos corredores em Portugal

Jorge Pina, conhecido ex-atleta cego, vai abrir uma escola de desporto para atletas com deficiência, em Lisboa.

Em declarações à agência Lusa, o impulsionador explicou que “a escola começará a funcionar em pleno em setembro, no início do ano letivo”, mas a organização já está a “começar a ir às escolas apresentar o projeto aos jovens e aos pais”. Já tem parceria com o Instituto Português do Desporto e Juventude e também com o Instituto Nacional para a Reabilitação.

O objetivo desta iniciativa é “dar oportunidade aos jovens com qualquer tipo de deficiência de experimentarem as várias disciplinas do atletismo e de as começarem a praticar”. Completou ainda que “além de ser uma escola para pessoas com deficiência, também será uma escola para futuros professores”, daí que haja protocolos com faculdades “para que os futuros professores tenham oportunidade de trabalhar diretamente no terreno com pessoas com deficiência”.

Estima-se que a primeira fase abranja 70 alunos, referenciados pela Direção Regional de Educação de Lisboa (DREL). Para já, a escola vai exercer atividade no Estádio Universitário de Lisboa, no INATEL e na Pista de Atletismo Municipal Professor Moniz Pereira.

O projeto ganhou forma quando a Associação Jorge Pina estabeleceu uma parceria com a Rexona, através de uma outra iniciativa. Por cada quilómetro percorrido em ginásios aderentes, a marca doava um euro. Em 15 dias juntou-se 50 mil euros, quantia suficiente para arrancar com o projeto da escola.

Jorge Pinta perdeu a visão aos 28 anos num treino de boxe, altura em que, como já contou à OftalPro, “começou realmente a ver”, pois via “com o coração”. Esta escola para paralímpicos é exemplo desta “visão”.

9 Junho 2014
Atualidade

PUBLICIDADE
|MIDO 2022
`

Notícias relacionadas

“Em 2050, uma em cada duas pessoas vão sofrer de miopia”

O alerta é da OMS sublinhado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. No Dia Mundial da Visão a instituição chama atenção para a excessiva exposição de crianças a dispositivos eletrónicos. 80% de todas as causas de deficiência visual são evitáveis ou podem ser tratáveis mediante prevenção adequada.

Ler mais 14 Outubro 2021
AtualidadeOftalmologia