Células estaminais podem ajudar a regenerar a córnea

Imagem da notícia: Células estaminais podem ajudar a regenerar a córnea

Nos Estados Unidos da América, cientistas estão a desenvolver um novo método de regeneração da córnea, com recurso a células estaminais.

Os investigadores do Massachusetts Eye and Ear Research Institute e de três unidades de saúde de Boston, Boston Children’s Hospital, Brigham and Women’s Hospital e VA Boston Healthcare System, usaram células estaminais adultas de humanos nos olhos de ratos de laboratório, para ativarem as células responsáveis pela regeneração e reparo do olho.

Desta forma, ponderam a regeneração de córneas afetadas, após doença ou lesões, tendo em conta os resultados positivos nos testes em animais. No entanto, é complicado identificar estas células na esclera.

Para colmatar a dificuldade, os cientistas identificaram a molécula de busca, conhecida como ABCB5, no limbo do olho através de sinalizadores moleculares fluorescentes, para facilitar a procura pelas células regeneradoras.

Os profissionais afirmaram que esta foi a primeira vez que se conseguiu produzir tecido da córnea em animais, mediante células estaminais humanas.

4 Julho 2014
Atualidade

`

Notícias relacionadas

Marcelo Rebelo de Sousa nas comemorações da BIAL

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou esta terça-feira (25) o colaborador mais antigo da maior farmacêutica portuguesa. A distinção foi entregue no âmbito das comemorações dos 100 anos do laboratório, no dia em que se realiza a conferência BIAL 100 Years – Shaping the future, na Fundação Serralves (Porto).

Ler mais 25 Junho 2024
Atualidade

Consumo de drogas poderá causar deficiência visual

Gerardo Gleason, especialista mexicano em tecnologia para cirurgias oftalmológicas, alertou que “o consumo de substâncias psicoativas, naturais ou sintéticas, que atuam no sistema nervoso gerando alterações nas funções que regulam pensamentos, emoções e comportamento, aumentam as hipóteses de deficiência visual ou cegueira”, revela a Lusa.

Ler mais 21 Junho 2024
Atualidade