Jovem cega por usar lentes de contacto seis meses

Imagem da notícia: Jovem cega por usar lentes de contacto seis meses

O uso ininterrupto de lentes de contacto durante seis meses garantiu o estabelecimento de bactérias nos olhos de uma jovem taiwanesa, que posteriormente ficou cega.

Conheça a história exemplo de Lian Kao. Esta rapariga de 23 anos decidiu não remover as suas lentes de contacto por um período de meio ano.

Exercia todos os comportamentos de risco que os ópticos e oftalmologistas desaconselham, como tomar banho com as lentes, dormir com as mesmas e, obviamente, usá-las por um período superior a oito horas. Lian inclusive chegou a nadar, outra decisão de risco.

Como consequência, os seus olhos tornaram-se favoráveis à criação de colónias de um parasita: acanthamoeba, ou simplesmente amoeba, responsável pela doença acanthamoeba keratitis.

Tendo em conta que a jovem nunca tirou as lentes durante os seis meses, os seus olhos tornaram-se num antro de bactérias, precisamente o alimento deste parasita. Embora não “coma” diretamente o tecido humano, durante este processo afeta gravemente a córnea, que leva à cegueira.

O uso de lentes de contacto inibe o olho de receber oxigénio, algo agravado quando se as usa durante o sono, facto que exerce influência na abertura de pequenas feridas no olho, nomeadamente no epitélio. O suficiente para um parasita de pequenas dimensões como o amoeba, que conseguiu introduzir-se na lente de contacto, transpor e se instalar.

O parasita encontra-se na água. Tendo em conta que a lente de contacto fica horas perto do olho, o amoeba tem todas as condições para se instalar no olho.

A acanthamoeba keratitis causa mal estar no doente, desde dores, irritação ocular e visão turva.

A cura passa pelo transplante, embora nem sempre seja uma solução definitiva, porque uma vez que a infeção ganha forma é de difícil extermínio.

Especialistas consideram que contrair esta doença é raro, se o utilizador levar em conta todos os hábitos aconselháveis pelos profissionais da visão. Lavar as mãos, desinfetar a caixa das lentes, usar frequentemente nova dosagem de líquido das lentes, entre muitas outras sugestões, são importantes linhas de defesa para não se tornar um novo caso Lian Kao.

17 Julho 2014
Atualidade

PUBLICIDADE
|MIDO 2021
`

Notícias relacionadas