João Maia, o fotógrafo cego

Imagem da notícia: João Maia, o fotógrafo cego

João Maia foi um dos fotógrafos destacados para as Paralimpíadas que se realizaram no Rio de Janeiro. E tem uma particularidade: é cego. A audição e a tecnologia são os seus maiores aliados. “Fotografia é sensibilidade”, afirma o brasileiro, como noticiado pelo Jornal I.

O fotógrafo ficou cego em 2004, aos 28 anos, devido a uma uveíte bilateral, inflamação da úvea, a camada média do globo ocular. Não vê do olho direito e do esquerdo só consegue percecionar vultos coloridos, conta o portal brasileiro G1.

João Maia, que começou a fotografar quatro anos antes de cegar, usa uma câmara profissional conectada a um telemóvel com comandos de voz aliada à audição.

“As pessoas perguntam-me se faz diferença fotografar com uma câmara ou com um telemóvel. Mas o que faz diferença é o que está por trás do equipamento, como você compõe a foto, como imagina a foto. Tudo isso passa pela minha cabeça”, explica João Maia ao G1.

 

30 Setembro 2016
Atualidade

`

Notícias relacionadas

Pedro Menéres apresenta candidatura à SPO

Com a experiência de dois mandatos na direção da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO) (biénio 2015/2016 e 2021/2022), e exercício anterior como membro do Board de duas sociedades internacionais (ESA e ESCRS), Pedro Menéres apresenta agora a sua candidatura à presidência da SPO para o biénio que se inicia em janeiro de 2025.

Ler mais 16 Julho 2024
Atualidade

AbbVie apoia SEMEAR e doa 100 cabazes à Academia Johnson

A AbbVie realizou, em junho, mais um "Week of Possibilities", o seu programa global de responsabilidade social que consiste em contribuir para as comunidades locais através do voluntariado. Nesta edição, a biofarmacêutica colaborou com o projeto SEMEAR para a doação de 100 cabazes à Academia Johnson.

Ler mais 15 Julho 2024
Atualidade