Usar Google aumenta risco de demência?

Imagem da notícia: Usar Google aumenta risco de demência?

Frank Gunn-Moore, professor e responsável pelos estudos relacionados com biologia na Universidade de St Andrews na Escócia, acredita que a forma como usamos os motores de busca aumenta o risco de demência, uma vez que preferimos recorrer ao Google em vez de usarmos o nosso próprio cérebro. “Quando queremos saber alguma coisa, pesquisamos online em vez de procurar a resposta na nossa memória”, acrescenta.

Segundo a revista Visão, Frank Gunn-Moore diz ainda que o ser humano, ao escolher não usar o cérebro, acaba por se tornar protagonista de uma experiência sobre a demência cujos resultados só serão visíveis a longo prazo. Atualmente, o ser humano prefere o caminho mais fácil ao invés de pensar por si, insiste o professor, citado pelo The Sunday Post. “É importante promover a saúde dos nossos cérebros e para isso precisamos de usá-los”, enfatiza o professor.

Saiba mais aqui.

6 Dezembro 2017
Atualidade

`

Notícias relacionadas

Curso de Anatomia e Cirurgia de Órbita decorre em setembro

No próximo dia 23 de setembro realiza-se o curso pós-graduado de Anatomia e Cirurgia de Órbita – Hands-on Cadaver Dissection, na Nova Medical School - Faculdade de Ciências Médicas, em Lisboa. Este curso será organizado numa parceria entre a Unidade de Órbita do Hospital CUF Descobertas e o Departamento de Anatomia da Faculdade de Ciências Médicas da Nova Medical School/Faculty of Medical Sciences.

Ler mais 3 Agosto 2022
AtualidadeEventos e FormaçãoOftalmologia