Detetar Alzheimer através de OCT-A?

Imagem da notícia: Detetar Alzheimer através de OCT-A?

Num estudo recente, publicado na revista Ophthalmology Retina, investigadores da Duke University, nos EUA, relatam que alterações estatisticamente significativas podem ser identificadas nas retinas de pacientes com Alzheimer. Resultados obtidos através de angiotomografia de coerência ótica.

Os resultados de dois estudos mostram que um novo dispositivo de imagem não invasivo pode identificar sinais da doença de Alzheimer em poucos segundos. Os investigadores mostram que os pequenos vasos sanguíneos da retina na parte de trás do olho estão alterados em pacientes com Alzheimer. Mesmo os pacientes com histórico familiar da doença, mas sem sintomas, mostram esses sinais reveladores.

Um novo tipo de imagem precisa e não invasiva, chamada Angiotomografia de Coerência Ótica – Optical Coherence Tomography Angiography (OCT-A), auxiliou grande parte destas pesquisas sobre a ligação do olho à doença de Alzheimer, permitindo aos médicos ver as veias mais pequenas na parte posterior do olho, incluindo os glóbulos vermelhos que se movem através da retina.

Mais de 200 pacientes foram examinados neste estudo. Juntamente com 133 indivíduos saudáveis, havia 39 indivíduos com doença de Alzheimer e 37 com défice cognitivo ligeiro (MCI, na sigla em inglês).

A oftalmologista e principal autora do estudo, Sharon Fekrat, professora de Oftalmologia da Duke, juntamente com o colega Dilraj Grewal, professor associado de Oftalmologia da Duke, e a sua equipa de investigadores esperam que este trabalho tenha um impacto positivo na vida dos pacientes com Alzheimer.

Fonte: The Optical Vision Site

28 Março 2019
Oftalmologia

PUBLICIDADE
MIDO 2021
`

Notícias relacionadas

Especialistas apelam à retoma da vigilância oftalmológica

Embora os tempos recentes tenham conduzido a alterações substanciais no acesso aos cuidados oftalmológicos, os tratamentos e consultas de acompanhamento junto do profissional da visão devem ser mantidos numa base regular para evitar danos graves na visão.

Ler mais 9 Outubro 2020
Oftalmologia