Covid-19: doença hematológica?

Imagem da notícia: Covid-19: doença hematológica?

Um estudo preliminar desenvolvido por investigadores do Hospital Zhongnan, da Universidade de Wuhan, na China, garante que as pessoas com sangue tipo A podem ser mais vulneráveis à infeção pela Covid-19. A equipa examinou 2173 pessoas com diagnóstico positivo de Covid-19 e afirmam que os pacientes com sangue de tipo A manifestaram uma taxa de infeção pelo novo coronavírus “significativamente maior” bem como “sintomatologia mais grave”.

Apesar da pesquisa não ter sido ainda revista por outros investigadores, já foi publicada na plataforma científica MedRxiv:

“A lesão que o vírus provoca na hemoglobina é idêntico com a do plasmodium da malária (retira o ferro da molécula Heme). O ferro livre deposita-se nos pulmões e causa as manchas em formato de ‘vidro fosco’. 
A lesão pulmonar é ‘sempre’ bilateral (o que não ocorre na maioria das pneumonias).
É uma doença ‘hematológica’, não pulmonar. Os pulmões não são o órgão-alvo mas sim o sangue.
Pode explicar a razão dos tipos sanguíneos terem prognósticos diferentes.
… os pacientes com sangue de tipo A manifestaram uma taxa de infeção pelo novo coronavírus ‘significativamente maior’ bem como ‘sintomatologia mais grave’.
Das conclusões do estudo importa ainda referir que os doentes com tipo sanguíneo O foram os que manifestaram menor risco de infeção.
Noutras infeções virais, como é o caso do vírus NorWalk ou da hepatite B existe uma clara suscetibilidade ao tipo sanguíneo.
… os indivíduos com sangue tipo O são menos permeáveis a serem infetados pela SARS ou outras doenças motivadas por coronavírus.
Importa dizer que 85 dos 206 pacientes de Wuhan, presentes no estudo, que perderam a vida por causa da Covid-19 tinham sangue de tipo A; o que corresponde a uma taxa 63% superior aos do tipo O…”.

13 Abril 2020
Atualidade

`

Notícias relacionadas

Marcelo Rebelo de Sousa nas comemorações da BIAL

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou esta terça-feira (25) o colaborador mais antigo da maior farmacêutica portuguesa. A distinção foi entregue no âmbito das comemorações dos 100 anos do laboratório, no dia em que se realiza a conferência BIAL 100 Years – Shaping the future, na Fundação Serralves (Porto).

Ler mais 25 Junho 2024
Atualidade

Consumo de drogas poderá causar deficiência visual

Gerardo Gleason, especialista mexicano em tecnologia para cirurgias oftalmológicas, alertou que “o consumo de substâncias psicoativas, naturais ou sintéticas, que atuam no sistema nervoso gerando alterações nas funções que regulam pensamentos, emoções e comportamento, aumentam as hipóteses de deficiência visual ou cegueira”, revela a Lusa.

Ler mais 21 Junho 2024
Atualidade