Viseira não pode ser usada sem máscara, diz OM

Imagem da notícia: Viseira não pode ser usada sem máscara, diz OM

A Ordem dos Médicos (OM) veio a público exigir a “alteração urgente de legislação que recomenda máscaras ou viseiras” por considerar que o uso de viseira como alternativa à máscara é insuficiente para assegurar a segurança sanitária.

“A evidência científica de que atualmente dispomos sobre o uso de máscaras (comunitárias, cirúrgicas ou hospitalares) é suficientemente robusto, mas é de salientar que não existem estudos sólidos sobre o impacto da utilização da viseira, como alternativa à máscara, na redução do risco de contágio pelo novo coronavírus em termos de infeção através das vias aéreas”, segundo o comunicado conjunto da Ordem dos Médicos com o Conselho das Escolas Médicas Portuguesas.

Segundo o Jornal Económico, “a viseira é um bom elemento de proteção a nível ocular, confere alguma proteção das vias áreas a quem a usa, mas não confere proteção às outras pessoas. Contrariamente, a utilização correta de máscaras certificadas por todas as pessoas, confere uma elevada proteção interpessoal. Quando utiliza uma máscara, para além de se proteger, a pessoa está a proteger o outro. E viceversa. Por isso, a utilização de viseira não deve dispensar o uso em simultâneo de outros equipamentos de proteção individual adequados, como a máscara”, defendem os médicos portugueses.

7 Maio 2020
Atualidade

PUBLICIDADE
MIDO 2021
`

Notícias relacionadas

Telemedicina continua a “criar ondas” na oftalmologia

A pandemia de Covid-19 está a transformar a forma como a medicina é praticada em todo o mundo. Novas alternativas para o modus operandi da prestação de cuidados de saúde tradicionais têm sido escolhidas durante estes tempos incertos.

Ler mais 22 Setembro 2020
AtualidadeOftalmologia

Covid-19: oftalmologistas precisam de vigiar manifestações oculares

No final de março, foi publicado na JAMA Ophthalmology o primeiro relatório sobre 12 casos de conjuntivite em 38 pacientes hospitalizados com Covid-19 na província de Hubei, na China. Essas descobertas foram cruciais para espalhar o alarme sobre uma possível infeção por SARS-CoV-2 através do olho e a necessidade de proteger os profissionais de saúde visual.

Ler mais 16 Setembro 2020
AtualidadeOftalmologia