Máscaras de Angelina Meireles são “solidárias”

Imagem da notícia: Máscaras de Angelina Meireles são “solidárias”

Com a entrada em vigor das novas regras do pós-estado de emergência, o uso de máscara passou a ser fundamental no dia a dia da população. A Mundo A Sorrir avançou com a venda de máscaras reutilizáveis feitas em capulana (tecido tradicionalmente utilizado em África), cuja receita reverte na totalidade para o projeto “Saúde A Sorrir na Guiné-Bissau”, desenvolvido desde 2005. A criadora destas máscaras é a médica oftalmologista Angelina Meireles.

A iniciativa partiu mesmo de Angelina Meireles, coordenadora do projeto de capacitação na área de oftalmologia, implementado na Guiné-Bissau que, por causa da pandemia, decidiu reforçar o apoio à Mundo A Sorrir através da produção e venda de máscaras. 

As máscaras solidárias são confecionadas manualmente e possuem uma abertura para colocação de filtro descartável. Por cada máscara vendida, a organização oferece outra a uma pessoa socioeconomicamente vulnerável beneficiada pelos seus projetos. 

Com vários padrões, as máscaras de proteção são produzidas em tamanho de adulto e têm um custo de 5 euros, que revertem na totalidade para o projeto “Saúde A Sorrir”, que visa a promoção da saúde, bem-estar e qualidade de vida da população desfavorecida da Guiné-Bissau. 

A venda é feita exclusivamente através do e-mail comunicacao@mundoasorrir.org. Na compra de duas unidades ou mais, a Mundo A Sorrir oferece os portes de envio.

25 Maio 2020
AtualidadeOftalmologia

PUBLICIDADE
https://www.oftalpro.pt/wp-content/uploads/2022/11/BANNER-MIDO_OPTICA-E-OFTAL.gif
`

Notícias relacionadas

Oftalmologia marca presença na MIDO 2023

A conferência "Oftalmologia, óptica e optometria: as novas tecnologias e o futuro", será um dos motivos a ter em conta na edição deste ano da exposição internacional MIDO, que se realiza de 4 a 6 de fevereiro, em Milão, Itália.

Ler mais 23 Janeiro 2023
Atualidade

Qual o Futuro da Tecnologia nos Cuidados de Saúde?

A tecnologia e inovação estão de mãos dadas e vão acelerar durante o resto da década à medida que as empresas, os governos e os indivíduos se adaptarem às novas realidades, como a deslocalização, descarbonização, demografia e tensões geopolíticas.

Ler mais 20 Janeiro 2023
Atualidade