“Diplopia como sintoma de esclerose múltipla é mais frequente ao longo da evolução da doença”

Imagem da notícia: “Diplopia como sintoma de esclerose múltipla é mais frequente ao longo da evolução da doença”

A anulação da diplopia, através da prescrição de lentes prismáticas, sendo esta um sintoma relevante ao longo da evolução da esclerose múltipla, foi o mote para uma conversa sobre a importância da prescrição destas lentes na melhoria da qualidade visual destes utentes.

Quais as características fundamentais e diferenciadas das lentes prismáticas?

As lentes prismáticas ao terem prismas incorporados têm as propriedades e características dos prismas, são compostas por duas superfícies refrativas não paralelas que permitem o desvio dos raios de luz incidentes na direção da base do prisma. O deslocamento aparente dos objetos vistos através de uma lente prismática ocorre na direção oposta à base do prisma, ou seja, ocorre em direção ao vértice ou ápice. 

As lentes prismáticas, ao permitirem a dispersão da luz, são utilizadas regularmente para anular a diplopia desencadeada por diversas patologias oculares e sistémicas. Por exemplo, na diplopia provocada por um estrabismo convergente, coloca-se o prisma com base externa, para que a sua imagem seja percecionada internamente. 

A entrevista de Sandra Costa faz parte da revista OftalPro 57.

10 Agosto 2022
EntrevistasOftalmologia

PUBLICIDADE
MIDO
`

Notícias relacionadas

“As jornadas foram um enorme sucesso”

As XXXIV Jornadas Internacionais de Oftalmologia, organizadas pelo Serviço de Oftalmologia do Centro Hospitalar Universitário Santo António (CHUdSA) e presididas por Pedro Menéres, tiveram lugar no Hotel Sheraton Porto, entre os dias 26 e 27 de maio de 2023. Este ano, o tema do evento foi cirurgia refrativa e de catarata, “áreas em que Portugal e o Hospital de Santo António são muito fortes”, revela Pedro Menéres à OftalPro.  

Ler mais 21 Setembro 2023
Entrevistas

“A necessidade é a mãe da inovação”

Gabriel Morgado é um eterno “irrequieto”. Trabalha incansavelmente em prol da evolução da oftalmologia e procura constantemente as melhores soluções para ajudar os seus pacientes. Marcámos encontro no Instituto CUF, no Porto, para conhecermos a fundo a história deste médico oftalmologista de 42 anos.

Ler mais 18 Setembro 2023
Entrevistas