“Procuro pôr tudo o que tenho naquilo que faço”

Imagem da notícia: “Procuro pôr tudo o que tenho naquilo que faço”

Nuno Lopes, oftalmologista no Hospital de Braga, CUF Porto e Trofa Saúde Braga, falou com a OftalPro sobre o seu percurso académico e profissional e sobre a área de glaucoma e da cirurgia de glaucoma à qual se dedica.

Quem é Nuno Lopes? Fale-nos do seu percurso académico e profissional.

Sou médico oftalmologista, marido e pai de quatro filhos. Empenho-me em estar presente nestas três vertentes da minha vida de forma equilibrada e também gosto muito de fazer desporto. Em traços gerais, considero-me um homem pragmático, exigente, algo inconformado e com um sentido de humor particular. Procuro pôr tudo o que tenho naquilo que faço e estou sempre desejoso por aprender e ensinar. 

Iniciei os meus estudos na Escola Francesa do Porto, completei a escolaridade obrigatória no ensino público e concluí a licenciatura em medicina em 2004, no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Realizei o ano comum no Hospital de São João no Porto e, entre 2006 e 2010, frequentei o internato de formação específica em oftalmologia no Hospital Geral de Santo António no Porto. No ano de 2010 efetuei também o exame do European Board of Ophthalmology, tendo sido o segundo oftalmologista português a obter esta acreditação europeia. Desde a especialização assumi a coordenação da secção de glaucoma do Hospital de Braga, assim como a colaboração com a faculdade de medicina da universidade do Minho e outros cargos organizativos no serviço. De momento, divido a minha atividade assistencial entre o Hospital de Braga E.P.E. e dois grupos privados ligados à Saúde no Porto (CUF) e em Braga (Trofa Saúde).

A que área, dentro da oftalmologia, se dedica especialmente? E porquê? 

Durante a minha formação no Hospital de Santo António tive oportunidade de adquirir conhecimento e de me diferenciar em duas principais áreas: a cirurgia refrativa e o glaucoma. Motivado pelo então diretor de serviço Dr. Carlos Aguiar e pela Dr.ª Maria da Luz Freitas, fui-me especializando e dedicando cada vez mais à área do glaucoma que assumiu um claro destaque na minha atividade científica, clínica e cirúrgica. É, na minha opinião, uma área da oftalmologia onde a relação médico-doente assume um papel preponderante e incontornável, algo que acho extremamente cativante. Gosto de informar os meus pacientes de um modo claro e, na medida do possível, envolvê-los em todas as tomadas de decisão. Acredito que o conhecimento técnico e científico, por si só, é insuficiente para exercer medicina em toda a plenitude. Na área do glaucoma sinto que consigo desenvolver o meu trabalho com plena realização, apesar dos crescentes desafios ao exercício da excelência na nossa profissão nos últimos tempos.

Leia a entrevista completa na OftalPro 58 e fique a conhecer melhor o oftalmologista Nuno Lopes.

18 Outubro 2022
EntrevistasOftalmologia

PUBLICIDADE
https://www.oftalpro.pt/wp-content/uploads/2022/11/BANNER-MIDO_OPTICA-E-OFTAL.gif
`

Notícias relacionadas

“A Sala de Tecidos Oculares está em fase de conclusão”

Falámos com Maria João Quadrado, consultora da “Ocular Tissue Donation and Transplantation”, no Instituto Português do Sangue e Transplantação (IPST) que revelou que a Sala de Tecidos Oculares “está em fase de conclusão e autorização de funcionamento, pelo que estará em pleno funcionamento dentro em breve”.

Ler mais 13 Janeiro 2023
DestaqueEntrevistas