“O que custa não é a qualidade mas sim a falta dela”

Imagem da notícia: “O que custa não é a qualidade mas sim a falta dela”

“É muito comum ouvir-se a expressão: “não me dou nada bem com as lentes progressivas”! Ficam assim “prejudicados” aqueles Ópticos, que conscientemente e seriamente, procuram vender/recomendar um produto de melhor qualidade.

Um par de lentes progressivos tem uma duração média de cerca 3 anos (por razões de alteração de prescripção), o que face a um custo médio de 850 euros (de um par de lentes progressivas – de boa ou muito boa qualidade), representa menos de 25 euros por mês.

Deve, em abono da verdade, dizer-se que a percentagem de adaptação a essas lentes é muito elevada e acresce que os Fornecedores das mesmas, nutrem um enorme respeito pelo consumidor e pela classe Médica e apresentam múltiplas soluções, sempre que necessário”.

Pode consultar o artigo de opinião na íntegra na revista OftalPro 59.

17 Janeiro 2023
Opinião

PUBLICIDADE
https://www.oftalpro.pt/wp-content/uploads/2022/11/BANNER-MIDO_OPTICA-E-OFTAL.gif
`

Notícias relacionadas

Rotina de trabalho? Conheça três benefícios de uma alimentação saudável

Rachel Furtado é médica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com grau de mestre em Medicina pela Universidade de Lisboa, pós graduada em Nutrologia pela Faculdade de ciências médicas da Santa Casa de São Paulo. Rachel também tem formações em Coaching e Programação Neurolinguística. Atua em consultório privado de Nutrologia no Porto e por telemedicina.

Ler mais 28 Outubro 2022
Opinião