UMinho envolvida na formação avançada de médicos na Guiné-Bissau

Imagem da notícia: UMinho envolvida na formação avançada de médicos na Guiné-Bissau

No âmbito do projeto “IANDA – Reforço do Sistema de Saúde da Guiné-Bissau” e sob coordenação técnica e científica da Escola de Medicina da Universidade do Minho (UMinho), 24 médicos guineenses terminaram na última semana de abril a sua “Formação Médica Avançada” nas áreas clínicas de anestesiologia, cirurgia geral e ginecológica. Este programa pretendeu dotar as unidades hospitalares de médicos com competências acrescidas em áreas críticas na prestação de cuidados de saúde à população, conduzindo a uma melhoria gradual dos índices de qualidade dos cuidados de saúde prestados, com impacto ao nível da diminuição das taxas de mortalidade e morbilidade.  

Esta formação teve a duração de 13 meses, sendo que 10 destes foram cumpridos na Guiné-Bissau e três em Portugal, em estágios observacionais em contexto clínico que envolveram seis hospitais portugueses. Este modelo integrou a realização de um pré-curso de proficiência de língua portuguesa e informática médica e de uma formação online teórica médico-cirúrgica.  

Os 24 médicos envolvidos no programa foram orientados por médicos especialistas de hospitais portugueses numa ação formativa que ajudou a reforçar a capacidade local de formação médica, reconhecendo de forma progressiva a competência dos clínicos guineenses, abrindo portas a futuras formações de especialização. Em simultâneo, foi ainda garantida formação a seis médicos na área da medicina interna. De acordo com o coordenador do projeto na Escola de Medicina, Pedro Morgado, “o projeto permitiu uma aprendizagem multidirecional em que todos, médicos portugueses e guineenses, saem altamente valorizados para o trabalho a desenvolver juntos das populações de ambos os países”.  

Na sessão de encerramento do projeto, em que intervieram o ministro da saúde pública, Dionísio Cumba, o embaixador de Portugal, José Rui Velez Caroço, o reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, e a diretora do Programa Parcerias com África da Fundação Calouste Gulbenkian, Maria Hermínia Cabral, foi valorizada a qualidade da parceria e a importância dos resultados obtidos para a melhoria do sistema de saúde da Guiné-Bissau e da prestação de cuidados de saúde à população.  

O Ianda Guiné Saúde – Reforço do Sistema de Saúde da Guiné-Bissau é um projeto financiado pela União Europeia, gerido e cofinanciado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., e cofinanciado pela Fundação Calouste Gulbenkian.  

19 Junho 2023
Atualidade

`

Notícias relacionadas

HOYA estreia-se na TV em Portugal

Pela primeira vez, a HOYA vai anunciar a MiYOSMART, lente para a gestão da miopia em crianças e adolescentes, na televisão portuguesa, nos canais CMTV e TVI.

Ler mais 23 Maio 2024
AtualidadeLentes e Equipamentos

Um viva ao Hugo

O designer da OftalPro celebra hoje o seu aniversário. Muitos parabéns Hugo, um dia super feliz!

Ler mais 7 Maio 2024
Atualidade