Santa Maria aplica técnica para tratar estrabismo

Imagem da notícia: Santa Maria aplica técnica para tratar estrabismo

Esta técnica foi “iniciada num centro oftalmológico universitário no Japão e tem sido aplicada nos últimos anos em alguns centros diferenciados em cirurgia de estrabismo, aos quais se junta agora o de Santa Maria”, adianta a ULSSM.

De acordo com a publicação, no “último mês, cinco utentes seguidos no Hospital de Santa Maria foram intervencionados com esta técnica minimamente invasiva, que reduz o risco de complicações pós-operatórias e preserva os músculos saudáveis do olho, devolvendo qualidade de vida aos doentes intervencionados”.

Walter Rodrigues, diretor do serviço, sublinha que esta técnica inovadora se insere “na estratégia de oferecer as mais inovadoras opções terapêuticas aos doentes, com melhores diagnósticos, mais conforto e menos riscos pós-operatórios”. 

Este procedimento utiliza “a transposição de músculos extraoculares funcionantes para o território do músculo que por paralisia se encontra sem função. O recurso a esta técnica implica uma transposição muscular sem o seu seccionamento, apenas com o deslizamento de uma porção do músculo, o que permite obter resultados igualmente eficazes e preservar os músculos funcionantes”, lê-se na publicação.

“Esta técnica poupa a vascularização dos músculos, ao contrário de outras cirurgias usadas nesta área, o que resulta na melhoria do prognóstico final e redução do risco de inflamação e baixa visão no pós-operatório”, destaca Rita Gama, especialista do Serviço de Oftalmologia.

“Um terço dos doentes adultos acompanhados na nossa consulta de estrabismo sofre de paralisias oculomotoras. Dentro desse universo, cerca de 20% serão elegíveis para esta cirurgia. Esta cirurgia vai devolver aos doentes a sua qualidade de vida”, acrescenta Filipa Teixeira, médica oftalmologista da ULSSM. 

Segundo o Serviço de Oftalmologia da ULS Santa Maria, esta unidade acompanha, no total, perto de 500 doentes por ano na consulta de estrabismo.

Imagem: ULSSM

19 Fevereiro 2024
Oftalmologia

`

Notícias relacionadas

Olhos vermelhos e bandeiras vermelhas

Olhos vermelhos e bandeiras vermelhas: A importância do exame oftalmológico no diagnóstico e orientação - artigo da autoria de J. Salgado-Borges. MD, PhD, FEBO - Diretor Clínico da Clinsborges, Embaixador em Portugal do TFOS (Tear Film & Ocular Surface Society) e Membro da EUDES (European Dry Eye Society).

Ler mais 3 Abril 2024
Oftalmologia

“Oftalmologia Pediátrica para todos” em debate

“Oftalmologia Pediátrica para todos: Refração na Criança” é o tema do próximo webinar das Quartas da SPO, que irá decorrer a 28 de fevereiro, pelas 21h30. O tema é proposto pelo Grupo Português de Estrabismo e Oftalmologia Pediátrica.

Ler mais 9 Fevereiro 2024
Oftalmologia