Acesso generalizado a anti-retrovirais contra o HIV aumenta esperança de vida

Imagem da notícia: Acesso generalizado a anti-retrovirais contra o HIV aumenta esperança de vida

“Trata-se de um dos ganhos de esperança de vida mais rápidos jamais observados na história da saúde pública”, diz em comunicado Till Bärnighausen, da Universidade de Harvard (EUA), que dirigiu o estudo publicado na revista Science.

A investigação em causa analisou a relação “custos-benefícios” de uma iniciativa levada a cabo em 2004 na província de KwaZulu-Natal, na África do Sul, em que todas as pessoas infetadas com o vírus da sida começaram a usufruir gratuitamente de uma terapia anti-retroviral. O resultado foi o aumento da esperança média de vida da população.

O tratamento anti-retroviral representa um custo de 500 a 900 dólares (570 a 670 euros) por ano e por pessoa. Mas Jcob Bor (co-autor também de Harvard) e os seus colegas mostraram, igualmente, que os benefícios do tratamento ultrapassam largamente os custos médicos – que, no caso sul-africano, totalizaram o equivalente a cerca de oito milhões de euros ao longo dos oito anos que durou o estudo propriamente dito.

Já se tentou calcular os efeitos e os custos de programas de administração de anti-retrovirais a populações inteiras. Mas consistiam em extrapolar resultados obtidos com pequenos grupos de pessoas tratadas nos hospitais.

Este novo estudo permitiu é pioneiro pois pois permite determinar diretamente, para além do aumento efetivo da esperança de vida adulta, a efetiva relação custo-benefício desta estratégia terapêutica.

Contas feitas: salvar um ano de vida custa pouco mais de mil euros, o que corresponde “a menos de um quarto do PIB per capita da África do Sul em 2011”, afirma Bor.

 

7 Março 2013
Atualidade

`

Notícias relacionadas

Novo confinamento: oftalmologistas podem abrir portas

O Governo já anunciou as medidas do novo confinamento geral para um combate necessário ao avultado número de infetados com Covid-19. Na generalidade, voltam a ser aplicadas as regras do primeiro confinamento, mas com novas exceções. É o caso da oftalmologia.

Ler mais 14 Janeiro 2021
AtualidadeOftalmologia

Mais literacia em saúde com o projeto “A Saúde no Saber”

A Ciência Viva - Agência Nacional de Cultura Científica e Tecnológica, no âmbito do concurso “Comunicar Saúde”, que visa promover a literacia em saúde em Portugal, atribuiu 20 mil euros ao projeto “A Saúde no Saber”, do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra (UC).

Ler mais 13 Janeiro 2021
Atualidade