Afinal os míopes são os que mais estudam

Imagem da notícia: Afinal os míopes são os que mais estudam

Segundo um estudo realizado na Grã-Bretanha e publicado na revista científica British Medical Journal, mais anos a estudar contribuem para o aumento da miopia.

Os investigadores analisaram quase 68 mil pessoas, estudando o seu ADN para perceber a predisposição genética para a miopia.

As conclusões mostram que frequentar o ensino superior, num total de 17 anos a estudar, pode contribuir para um grau de miopia adicional, comparando com quem parou de estudar com 16 anos de idade e com cerca de 12 anos de educação.

Os investigadores assumem que um grau de miopia é relativamente pouco, mas é suficiente para uma pessoa precisar de óculos para conduzir, por exemplo.

“Este estudo mostra que a exposição a mais anos na educação contribui para o aumento da prevalência de miopia. Um aumento no tempo dedicado à educação pode, inadvertidamente, aumentar a prevalência de miopia e a potencial deficiência visual futura“, indicam as conclusões divulgadas no British Medical Journal.

“O crescimento do olho axial ocorre predominantemente durante os anos escolares e, uma vez que os níveis de miopia tendem a estabilizar na idade adulta, qualquer intervenção para interromper ou prevenir a miopia precisa de ser aplicada na infância”.

12 Junho 2018
AtualidadeOftalmologia

`

Notícias relacionadas

Pedro Menéres apresenta candidatura à SPO

Com a experiência de dois mandatos na direção da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO) (biénio 2015/2016 e 2021/2022), e exercício anterior como membro do Board de duas sociedades internacionais (ESA e ESCRS), Pedro Menéres apresenta agora a sua candidatura à presidência da SPO para o biénio que se inicia em janeiro de 2025.

Ler mais 16 Julho 2024
Atualidade

AbbVie apoia SEMEAR e doa 100 cabazes à Academia Johnson

A AbbVie realizou, em junho, mais um "Week of Possibilities", o seu programa global de responsabilidade social que consiste em contribuir para as comunidades locais através do voluntariado. Nesta edição, a biofarmacêutica colaborou com o projeto SEMEAR para a doação de 100 cabazes à Academia Johnson.

Ler mais 15 Julho 2024
Atualidade