ZEISS Women Award 2023 distingue mulheres nos setores digital e TI

Imagem da notícia: ZEISS Women Award 2023 distingue mulheres nos setores digital e TI

O 13º ZEISS Women Award 2023 foi entregue a 2 de novembro de 2023, em Dresden, Alemanha. Jana Zeller, Anke Haas, Annika Rüll e Lydia Günther foram as grandes vencedoras do prémio que “reconhece jovens mulheres licenciadas e estudantes promissoras em Digital e TI e serve como uma plataforma para incentivar mais mulheres a seguirem uma carreira nesta área”. Elke Büdenbender foi mais uma vez patrocinadora do prémio.

“Talento, determinação e paixão: as vencedoras do ZEISS Women Award deste ano têm estas características específicas em abundância. Estou orgulhoso por podermos reconhecer estes jovens talentos femininos e tornar as suas carreiras visíveis. As vencedoras são modelos fortes para todas as jovens mulheres interessadas numa futura carreira em tecnologia, ciências naturais ou engenharia. A nossa mensagem é: sigam o vosso próprio caminho e permaneçam fiéis a vocês mesmas”, afirmou Georg von Erffa, chefe de recursos humanos corporativos do Grupo ZEISS e anfitrião do evento.

As vencedoras

O primeiro lugar do ZEISS Women Award 2023 pertence a Jana Zeller, que recentemente concluiu o bacharelado em ciência da computação no Instituto de Tecnologia de Karlsruhe. Durante os estudos, Jana concentrou-se em vários aspetos da inteligência artificial. Na sua tese desenvolveu um método que requer menos dados para prever propriedades moleculares. Este progresso poderá facilitar uma aceleração na procura de potenciais medicamentos no futuro. Jana Zeller está atualmente a estudar na Universidade de Oxford, no Reino Unido, ciência da computação. Quando era jovem, Jana Zeller envolveu-se como mentora na Jugend hackt e na Hacker School com o objetivo de dar a outras mulheres e grupos sub-representados mais autoconfiança em TI. “O meu objetivo é incentivar as jovens a descobrirem as suas habilidades em tecnologia e mostrar-lhes que são bem-vindas na indústria de TI e podem fazer contribuições valiosas”, referiu.

Anke Haas, que completou o mestrado em computação cognitiva na Universidade de Osnabrück este ano, ficou em segundo lugar. Na sua dissertação de mestrado abordou a criação de um assistente de voz virtual para um hospital. O objetivo era treinar um assistente de voz virtual de forma que pudesse apoiar médicos em hospitais ou diferentes instalações médicas. Anke Haas iniciou a sua carreira profissional na IBM Alemanha e está envolvida em diversas redes femininas, como Woman in Tech, programas da IBM e como palestrante freelance em conferências e eventos. “Gostaria de aproveitar a minha presença nestes eventos para aumentar a consciencialização sobre o preconceito que existe na inteligência artificial e que discrimina as mulheres e as minorias”, disse.

Annika Rüll, mestre em ciência da computação pela RWTH Aachen University (Rheinisch-Westfälische Technische Hochschule Aachen), alcançou o terceiro lugar. Na sua tese de mestrado examinou como a IA, especialmente as redes neurais, se pode tornar mais segura. Atualmente trabalha no Escritório Federal Alemão de Segurança da Informação (BSI). Annika Rüll está particularmente interessada em partilhar o conhecimento adquirido sobre IA com uma comunidade mais ampla. Ela transmite conhecimentos sobre IA a adultos e crianças em vários projetos, como por exemplo, no Deutsches Museum Bonn ou com a IT4Kids eV. “Gostaria de tornar a IA compreensível para um público mais amplo com as exposições de IA que projetei para o Deutsches Museum e ajudar a dissipar medos irrealistas, ao mesmo tempo que aumenta a consciencialização sobre os perigos reais e os limites das suas aplicações”, declarou Annika Rüll.

Também foi concedido um prémio especial a Lydia Günther. Após 10 anos de serviço no Exército Alemão (Bundeswehr), Lydia Günther aproveitou a oportunidade para iniciar um mestrado em tecnologia médica e de saúde na Universidade de Ciências Aplicadas de Zwickau (Westsächsische Hochschule Zwickau). Além da sua determinação em recomeçar a carreira, o júri ficou particularmente impressionado com a forma como Lydia conseguiu conciliar os estudos com uma família numerosa – e alcançou excelentes resultados académicos. Os seus estudos concentraram-se em ver a digitalização e a tecnologia da informação como uma oportunidade de inclusão e participação para diversas comunidades e colocá-las em prática.

Saiba mais aqui.

Imagens: ZEISS

9 Novembro 2023
Prémios

`

Notícias relacionadas

José Cunha-Vaz distinguido nos EUA

O prémio foi atribuído em Seattle, EUA, pela Helen Keller Foundation, em conjunto com a BrightFocus Foundation, no decorrer do congresso da Association for Research in Vision and Ophthalmology (ARVO), que reúne mais de dez mil especialistas em oftalmologista, de 75 países.

Ler mais 9 Maio 2024
Prémios

Blueworks vence prémio de inovação em oftalmologia

A Blueworks é a vencedora do prémio The Technology Award, atribuído pela revista Optician, do Reino Unido. Para o júri, a Blueworks foi capaz de “demonstrar que é possível criar pontes entre cuidados primários e secundários, usando tecnologia para potenciar contribuições positivas e relevantes para a saúde dos doentes a uma escala nacional”.

Ler mais 27 Fevereiro 2024
Prémios