Joaquim Mira: Covid-19 e o impacto na oftalmologia

Imagem da notícia: Joaquim Mira: Covid-19 e o impacto na oftalmologia

O médico oftalmologista Joaquim Mira partilha com a OftalPro quais são os impactos da pandemia Covid-19 no ramo da oftalmologia.

“Qualquer doença infeciosa que se possa propagar por via respiratória, que não se manifeste em muitos dos atingidos ou só o faça vários dias após a contaminação, sendo estes infetados disseminadores silenciosos sem o saberem, pode afetar muitas pessoas de uma forma rápida com um forte impacto do ponto de vista da saúde e na economia em geral. Lidar com estas doenças virais, facilmente transmissíveis, obriga que as entidades responsáveis entendam as vias de transmissão, quais são os setores ou os grupos de pessoas mais frágeis e sensíveis, como podem ser protegidas e como é possível quebrar as vias de transmissão. A pandemia provocada pela Covid-19 é uma doença viral um pouco mais agressiva que as chamadas gripes de inverno”.

Acrescenta: “Se olharmos para alguns países civilizados orientais (Japão ou Coreia do Sul, entre outros), desde há muitos anos, por uma questão de saúde pública, mas também de respeito pelos outros, sempre que alguém manifesta sintomas de síndrome gripal, usa uma máscara em ambiente social ou de trabalho. Se a China tivesse divulgado mais cedo a doença que lá se iniciou e se as entidades responsáveis pela saúde mundial e, em Portugal, a Direção Geral da Saúde (DGS), tivessem valorizado a infeciosidade da pandemia que estava a nascer, teria sido possível que se abastecessem a tempo com equipamentos de proteção para os profissionais de saúde, fizessem uma testagem adequada, recomendassem não só o distanciamento social, mas o uso de máscara e um ensino adequado e insistente das boas práticas de higiene a toda a população. Assim, decerto a pandemia teria sido mais facilmente controlada, o que se teria refletido na economia e na qualidade de vida da população”.

Saiba mais em breve.

12 Junho 2020
Oftalmologia

PUBLICIDADE
|MIDO 2022
`

Notícias relacionadas

“Em 2050, uma em cada duas pessoas vão sofrer de miopia”

O alerta é da OMS sublinhado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. No Dia Mundial da Visão a instituição chama atenção para a excessiva exposição de crianças a dispositivos eletrónicos. 80% de todas as causas de deficiência visual são evitáveis ou podem ser tratáveis mediante prevenção adequada.

Ler mais 14 Outubro 2021
AtualidadeOftalmologia