Como comunicar uma má notícia em oftalmologia?

Imagem da notícia: Como comunicar uma má notícia em oftalmologia?

Falámos com alguns médicos oftalmologistas sobre a forma de comunicar más notícias. Hoje destacamos a opinião de Gil Calvão Santos.

OftalPro: Quais são as principais dificuldades que sentem quando têm de comunicar más notícias a um paciente?

Gil Calvão Santos: Uma má notícia é uma informação que é partilhada com os doentes e família sendo previsível que seja difícil de discutir e absorver. Muitas vezes, o médico tem dificuldade em dar más notícias por medo de magoar os doentes ou por haver conotações negativas relacionadas com o diagnóstico. No meu ponto de vista, a grande dificuldade prende-se com a necessidade de proteger o doente e preservar a esperança, ao mesmo tempo que se é honesto e se fornecem expectativas realistas. Surgem sempre muitas questões neste contexto que levam à auto-reflexão: comunicar ou não comunicar? comunicar toda a verdade ou apenas parte? o que comunicar? como comunicar? quando comunicar?

OF: E como é que se dá uma má notícia?

GCS: A maneira como a informação é partilhada com o doente pode afetar a sua saúde física e mental, a sua atitude em relação a uma possível recuperação, a sua motivação para aderir ao esquema terapêutico, bem como a sua relação com o médico. Há vários aspetos a ter em conta. Devemos começar por preparar os aspetos físicos: comunicar más notícias presencialmente e nunca por telefone, adotar uma postura relaxada e respeitar a privacidade do doente e família. Devemos descobrir o que o doente já sabe sobre o seu problema e as suas expectativas face ao impacto da doença e do futuro, mas também perceber o que ele quer saber, de modo a convidá-lo à partilha de informação. É importante completar a informação que o doente já conhece, fornecendo a informação por etapas com linguagem apropriada, percetível e positiva, tendo o cuidado de responder às emoções do doente. Por fim, não se deve descurar o planeamento do seguimento.

Saiba mais na OftalPro 33!

4 Maio 2016
Entrevistas

PUBLICIDADE
MIDO 2021
`

Notícias relacionadas

Cláudia Bacalhau em entrevista

Cláudia Bacalhau ingressou no Mestrado Integrado em Medicina na Faculdade de Medicina de Lisboa em 2003 e no Internato Complementar de Oftalmologia em 2011, no Centro Hospitalar de Setúbal, onde ainda colabora. Foi assistente convidada na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa e na Escola Superior de Tecnologias de Saúde do Instituto Politécnico de Lisboa. Atualmente, trabalha no Hospital da Luz Setúbal e na Clínica ALM Oftalmolaser, estando mais dedicada à oftalmologia pediátrica.

Ler mais 16 Outubro 2020
Entrevistas

Entrevista com Joaquim Mira em formato vídeo

Joaquim Mira, natural de uma aldeia do concelho da Batalha, nunca imaginou que seria médico oftalmologista, mas sempre soube que o seu objetivo era ir longe. Veja aqui parte da sua entrevista em vídeo!

Ler mais 28 Agosto 2020
EntrevistasOftalmologia

A oftalmologia depois da Covid-19

Os impactos da pandemia Covid-19 na oftalmologia e noutras ciências da visão, como a ortóptica, as medidas que os profissionais, clínicas e unidades hospitalares devem tomar para minimizar uma nova crise e os pontos positivos a retirar de toda esta situação foram as questões colocadas pela OftalPro.

Ler mais 1 Julho 2020
EntrevistasOftalmologia