Café pode reduzir o risco da síndrome do olho seco

Imagem da notícia: Café pode reduzir o risco da síndrome do olho seco

O consumo de cafeína pode aumentar a capacidade de os olhos produziram lágrimas, uma descoberta que pode melhorar o tratamento do chamado síndrome do olho seco, sugere um estudo publicado na revista Ophthalmology.

Para este estudo, os investigadores da University of Tokyo’s School of Medicine contaram com a participação de 78 indivíduos, com síndrome do olho seco, tendo metade dos pacientes recebido, na primeira sessão de tratamento, comprimidos de cafeína e a outra metade um placebo. Na segunda sessão os participantes receberam o tratamento oposto. Nenhum dos pacientes sabia que tipo de comprimido é que tinha ingerido.

Os investigadores, liderados por Reiko Arita, também constataram que os participantes que apresentavam as duas variantes conhecidas por desempenhar um papel importante no metabolismo da cafeína apresentavam uma maior produção de lágrimas, após a toma de comprimidos com cafeína.

A síndrome do olho seco afeta a taxa da produção de lágrimas, a qualidade destas e a taxa com que as lágrimas se evaporam da superfície do olho. Os sintomas desta síndrome, que atinge maioritariamente as mulheres, incluem desconforto ocular, ardor, excessivo lacrimejamento e produção de muco.

23 Abril 2012
Atualidade

`

Notícias relacionadas

Novo confinamento: oftalmologistas podem abrir portas

O Governo já anunciou as medidas do novo confinamento geral para um combate necessário ao avultado número de infetados com Covid-19. Na generalidade, voltam a ser aplicadas as regras do primeiro confinamento, mas com novas exceções. É o caso da oftalmologia.

Ler mais 14 Janeiro 2021
AtualidadeOftalmologia

Mais literacia em saúde com o projeto “A Saúde no Saber”

A Ciência Viva - Agência Nacional de Cultura Científica e Tecnológica, no âmbito do concurso “Comunicar Saúde”, que visa promover a literacia em saúde em Portugal, atribuiu 20 mil euros ao projeto “A Saúde no Saber”, do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra (UC).

Ler mais 13 Janeiro 2021
Atualidade