“Temos que ser humildes em algumas áreas”

Imagem da notícia: “Temos que ser humildes em algumas áreas”

Apesar de considerar a Oftalmologia portuguesa uma das melhores do mundo, Miguel Amaro, diretor do Serviço de Oftalmologia do Hospital Vila Franca de Xira, assume que “temos que perceber que não podemos ser os melhores em tudo”.

OftalPro: Acha que a Oftalmologia que se pratica em Portugal está ao nível da que se vê no resto do mundo?

Miguel Amaro: Estamos na crista da onda do que se faz em Oftalmologia ao nível mundial, mas, como em tudo, há determinadas situações que podem ser tratadas de melhor forma noutros centros, fora de Portugal. E isto porque não temos um volume de população que justifique ficarmos ‘experts’ em todas as áreas oftalmológicas, principalmente as de foro mais raro. É o caso do melanoma intraocular, por exemplo. Normalmente, enviamos estes pacientes para o IPO, mas não há um centro de referência em Portugal que trate desta patologia. Os pacientes têm que ser encaminhados para Barcelona ou para a Suíça, onde existem locais específicos para estas situações. Acima de tudo, temos que ser humildes, relativamente a algumas áreas, e perceber que não podemos ser os melhores do mundo em tudo.

Leia toda a entrevista na OftalPro 24.

25 Março 2014
Atualidade

`

Notícias relacionadas

Novo confinamento: oftalmologistas podem abrir portas

O Governo já anunciou as medidas do novo confinamento geral para um combate necessário ao avultado número de infetados com Covid-19. Na generalidade, voltam a ser aplicadas as regras do primeiro confinamento, mas com novas exceções. É o caso da oftalmologia.

Ler mais 14 Janeiro 2021
AtualidadeOftalmologia

Mais literacia em saúde com o projeto “A Saúde no Saber”

A Ciência Viva - Agência Nacional de Cultura Científica e Tecnológica, no âmbito do concurso “Comunicar Saúde”, que visa promover a literacia em saúde em Portugal, atribuiu 20 mil euros ao projeto “A Saúde no Saber”, do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra (UC).

Ler mais 13 Janeiro 2021
Atualidade