“Quase tudo o que fiz foi obra do acaso”

Imagem da notícia: “Quase tudo o que fiz foi obra do acaso”

Apesar de ter sido “obra do acaso”, a Oftalmologia Pediátrica e o Estrabismo preenchem a vida de Jorge Breda de uma forma indescritível.

OftalPro: Mas, dentro desta especialidade tão abrangrente, porquê a Oftalmologia Pediátrica?

Jorge Breda: Como quase tudo na minha vida: por acaso e por necessidade, como responderia o Jacques Monod. Quase tudo o que fiz foi obra do acaso, de um conjunto de circunstâncias que se conjugaram e produziram um acontecimento. Como expliquei antes, comecei a minha preparação oftalmológica nesta área, onde na altura em que entrei no Serviço não estava ninguém a estagiar e, por isso, o professor Silva Pinto me colocou lá. Era dirigida pelo doutor Coimbra de Matos, que foi ótimo para mim, ensinou-me muito e eu tinha uma vontade infinita de aprender. Depois, a maior parte dos colegas não gostava deste tema, era muito trabalhoso, dava muito que pensar porque era preciso saber muita fisiologia neurosensorial. Estas dificuldades despertaram-me vontade de descobrir, de ultrapassar adversidades e isso acabou de facto por me fascinar.

OF: E como é lidar com a visão das crianças? É um trabalho difícil?

JB: Lidar com crianças é muitíssimo mais simples do que possa parecer e, sobretudo, do que lidar com adultos. Basta saber como são sinceras. O que se passa com os seus olhos é muito objetivo, não está modificado por interpretações nem intenções e, por isso, só temos que identificar o que vemos, fazer o diagnóstico e aplicar a terapêutica adequada. Acho que o trabalho não é nada difícil, apenas temos que “apanhar” a maneira certa de obter a sua confiança para os ter sossegados e assim facilitar a nossa observação objetiva, sem ter necessidade de nos basearmos nas suas respostas para aplicar um tratamento.

Leia a entrevista completa na OftalPro 25.

2 Maio 2014
Atualidade

`

Notícias relacionadas

HOYA Vision Care lança nova campanha global “Myopia Care for Kids”

Esta iniciativa tem o duplo objetivo de “sensibilizar as crianças para o crescente aumento global da miopia nas crianças (que ocorre tipicamente entre os 6 e 14 anos1), assim como, sensibilizar para as “inovadoras lentes oftálmicas2 MiYOSMART, concebidas especificamente para que as crianças abrandem a progressão da miopia nas crianças entre os 8 e os 13 anos3”.

Ler mais 17 Agosto 2022
AtualidadeLentes e equipamentos

Academia do Profissional aposta na diversificação

Com o “foco” estritamente na “formação especializada”, os projetos a curto prazo de Ricardo Simões, CEO da Academia do Profissional, passam pela área de cuidados de saúde e beleza, o que pode abrir espaço ao setor da medicina dentária no futuro.

Ler mais 12 Agosto 2022
AtualidadeEventos e Formação

Lisboa acolheu XXII Congresso Nacional de Ortoptistas

Com a presença de cerca de 100 participantes, a APOR realizou o XXII Congresso Nacional de Ortoptistas em Lisboa. Durante a sessão de abertura, Aldina Reis, a presidente da APOR, aproveitou para enaltecer o importante e indispensável trabalho desenvolvido pelos ortoptistas no Serviço Nacional de Saúde (SNS), desde há 60 anos.

Ler mais 11 Agosto 2022
AtualidadeEntrevistasOftalmologia