“Nunca pensei ser oftalmologista”

Imagem da notícia: “Nunca pensei ser oftalmologista”

Eunice Guerra contou-nos em entrevista como surgiu o seu gosto pela oftalmologia.

“Nunca pensei ser oftalmologista. Desde muito pequena que falava em ser médica, por falar, como qualquer criança. Mas com o tempo a ideia foi sedimentando. Era boa aluna, havia ligações à medicina na família e tudo isso terá contribuído para a escolha. Já a ideia da oftalmologia apenas surgiu no final no curso, quando olhei para esta especialidade ‘com outros olhos’, durante uma cadeira opcional no 6º ano. Só nessa altura comecei a aperceber-me que a oftalmologia é muito maior do que o olho em si próprio. E que, na verdade, é preciso saber medicina para se ser um bom oftalmologista. Isso, juntamente com a beleza da cirurgia de pormenor que é a cirurgia oftalmológica, fez com que na altura, cheia de incertezas, tivesse pensado que até poderia ‘fazer isto o resto da vida!'”.

Saiba mais na OftalPro 37.

18 Maio 2017
Entrevistas

`

Notícias relacionadas

“O objetivo primordial é manter o foco no doente”

Da formação médica à especialização, Tiago Martins Silva aborda o momento mais difícil na sua prática profissional, caracterizando ainda a oftalmologia em Portugal, com o SNS e os seus desafios, as metas pessoais e o que de melhor e pior retira de quase 20 anos de prática clínica.

Ler mais 8 Julho 2024
Entrevistas